sexta-feira, 28 de agosto de 2009

Mãos a obra...

Logo que comecei a imaginar o miniteatro, lembrei de umas conversas que tive com a atriz-manipuladora Adriana Cruz, onde falávamos da arte como alimento (...) e de possibilidades de experimentar novos projetos com o teatro de formas animadas. Foi aí que comecei a observar os vendedores ambulantes e então veio o link... A primeira imagem que me impulsionou para a possibilidade de imaginar um miniteatro foi essa:




Pronto. A inquietação estava plantada.Em um outro dia, visitando a casa do ator Paulo Marrat, descobri uma bicicleta que ele usava no espetáculo “Caos”. Ela estava meio que encostada, pois já havia sido substituída. Então, depois de estudar possibilidades de suportes (ver “POSSÍVEIS PROJETOS”), acabei optando por negociar essa bicicleta. Não só pela conveniente oportunidade de negócio, mas também por ela ser um dos exemplares mais utilizados pelos vendedores ambulantes:


2 comentários:

Fábio Pinheiro disse...

Olá Mardock, como está? Ví imagens desse teu projeto pelo orkut e vim conferir. Belíssima idéia! Fico sempre entusiasmado com as possibilidades. Interessante notar que pelo Brasil à fora os inventores dessas engenhocas sempre se referem ao "Lambe-lambe", realmente um precursor que abriu possibilidades principalmente àqueles que querem fazer animação e têm dificuldade de montar um grupo. Claro, o "Natureza no Asfalto" prova que é possível fazê-lo em grupo também.
Parabéns e muito boa sorte!

Samir Raoni disse...

Muito interessante como o observar constroi com o intuir e se fortalece com o sonhar... mais bom mesmo fica quando ele namora com o agir!

Parabéns grande hermano Mardock.